Adilson Pize: Gestão de Projetos e voluntariado como paixões

AdilsonCoordenador do Grupo de Usuários de Gestão de Projetos – GUGP, da SUCESU-RS, Adilson Pize é CEO e Consultor da Excellence Gestão Empresarial, com mais de 25 anos de experiência. Nesta entrevista, conhecemos um pouco mais desse profissional, apaixonado por gestão de projetos, área que entrou logo cedo em sua carreira como um desafio. O voluntariado também faz parte de sua vida, além do GUGP, atua em entidades como o PMI e Rotary.

Adilson é graduado em Processamento de Dados, Pós-Graduado em Qualidade Total e Reengenharia de Processos e possui as certificações PMP, CBPP, CSM e ITIL Foundations. Também é formado no programa internacional de capacitação em liderança “PMI Leadership Institute Master Class” e criador dos modelos SPCanvas (Strategic Planning Canvas) e PSACanvas (Project Strategic Alignment Canvas) para o desenvolvimento interativo e colaborativo de planejamento estratégico e alinhamento estratégico de projetos.

Como a Gestão de Projetos entrou em sua carreira?
Adilson Pize – Comecei minha atuação frente a projetos no final da década de 80. Na época era analista de sistemas e fui designado como “coordenador” de um projeto de reformulação completa de um módulo do sistema de ERP, que era desenvolvido pela empresa em que atuava. Para ser sincero, não ocasião, sequer sabia que estava à frente de um projeto. Para mim, estava coordenando uma equipe de analistas e programadores que tinha como missão desenvolver um novo módulo para o ERP. Não foi uma tarefa fácil, pois naquela época estava encerrando minha graduação.

O primeiro curso de gerenciamento de projetos que participei foi em 1990, coincidentemente na SUCESU-PR, com o nome “Gerência de Projetos de Sistemas”. Soube que este curso seria realizado e gostei do conteúdo programático do mesmo, pois naquela ocasião tinha recém ingressado em uma organização como Gestor de TI e tinha como responsabilidade a implantação do Centro de Processamento de Dados da empresa e o desenvolvimento de um software para sua rede de lojas, integrado com o sistema de ERP, que rodava em mainframe, o que era algo muito inovador e desafiador. Foi através deste curso que compreendi o que eram os projetos e os desafios para o gerenciamento dos mesmos.

Como a área de Gestão de Projetos se estabeleceu em sua vida?
Adilson Pize – Sou um apaixonado por esta área porque através dos projetos somos agentes de transformação, protagonizando mudanças para melhor na realidade de pessoas, organizações e nações. Como diz um grande amigo meu, o gerenciamento de projetos é uma ferramenta da prosperidade, que algo que também acredito.

Durante muitos anos trabalhei em projetos de TI em diversas empresas, hora como gerente de projeto, hora como membro de equipe do projeto, e a cada um deles passei por diferentes experiências e fui angariando novos conhecimentos e desenvolvendo novas habilidades técnicas e comportamentais.

Um marco importante foi quando em 2001 conheci o PMI e passei por um treinamento de preparação e posteriormente fiz a certificação PMP. Um grande passo na minha carreira ocorreu em 2004 quando fundei uma pequena empresa de consultoria para implantar métodos e cultura de gerenciamento de projetos, programas e portfolios, e escritórios de projetos em organizações. Isto me permitiu, e continua permitindo, trabalhar nos mais diferentes ambientes, com os mais diversos projetos, nas mais variadas áreas/setores: comercial, industrial, serviços, terceiro setor e governo. Isso contribuiu significativamente para minha compreensão da aplicabilidade situacional das melhores práticas de gestão entre projetos de diferentes áreas/setores. Hoje tenho me dedicado ao estudo, desenvolvimento e publicação de métodos/frameworks que possam contribuir com profissionais e organizações na melhoria de suas práticas de gestão.

Quais comportamentos/competências considera importantes para um gestor de projetos?
Adilson Pize – Recentes estudos mundiais demonstram que o perfil esperado pelas organizações por parte dos gerentes de projeto inclui conhecimentos e habilidades em três áreas: técnicas/práticas de gerenciamento de projetos, liderança, e gestão estratégica e de negócios. Resumindo, o perfil esperado de um gerente de projetos vai muito além de conhecimentos e habilidades técnicas de gestão de projetos.

Um profissional que quer ter sucesso como gerente de projetos deve ter paixão pelo que faz; ser ético; continuamente aprimorar os conhecimentos atuais e buscar novos conhecimentos e desenvolver novas habilidades e competências; desenvolver habilidades e competências de liderança ao longo de toda sua vida; conhecer-se profundamente, buscando feedback continuo junto às pessoas com as quais se relaciona; vibrar junto com as equipes com as quais trabalha com todas as conquistas, por menor que sejam, e aprender com os erros; e ser resiliente, pois construir uma carreira em uma profissão qualquer leva tempo e exige muita dedicação do profissional.

Quais os planos do GUGP para 2016?
Adilson Pize – Para o ano de 2016 o GUGP pretende manter a realização de seus eventos de troca de conhecimentos em Porto Alegre e no interior do RS, com o desafio de ampliar ainda mais a execução de eventos fora da região metropolitana de Porto Alegre, frente à demanda forte que vem do interior do estado. Além disso, temos o objetivo de expandir parcerias com outras entidades e instituições de ensino e estabelecer embaixadores do GUGP em regiões do estado, instituições de ensino e empresas, de forma a ter uma forte rede em todo o estado e através desta rede expandir as ações do grupo.

O que o motiva a fazer o trabalho voluntario como coordenador de GU?
Adilson Pize – O trabalho voluntário é algo que faz parte de meu DNA e por isso sou voluntário em várias entidades. Os GUs são um meio de a SUCESU-RS entregar valor, sobretudo de conhecimentos, para a sociedade gaúcha. Então ser voluntário como coordenador em um de seus grupos é uma grande oportunidade de desenvolvimento pessoal, expansão da rede de relacionamentos e de contribuir com a nossa sociedade através da prestação de serviços para a mesma.

É uma satisfação muito grande saber que através de nosso trabalho contribuímos com o desenvolvimento de profissionais e organizações. Em mais de uma ocasião tivemos relatos de pessoas dizendo que ter participado do evento do GUGP abriu para elas novos horizontes para desenvolvimento profissional. E nada pode ser mais satisfatório do que isso.