Apresentação

A Fiesp publicou um estudo que prevê o encolhimento de 4,5% da indústria neste ano, sendo mais pessimista que alguns economistas consultados pelo Banco Central que apontam uma queda de 0,83% em 2015.

Como sabemos a economia tem um forte viés de comportamento humano. E noticias como essa fazem as pessoas ficarem mais cautelosas nas despesas e investimentos. Diante de desse cenário, o que fazer?

A solução é jogar fora alguns paradigmas, e pensar em alternativas de crescimento, pois são nos momentos de crise que somos mais criativos.

“É na crise que nascem as invenções, os descobrimentos e as grandes estratégias. Quem supera a crise, supera a si mesmo, sem ficar superado.”

Albert Einsten

E a criatividade gera inovação. E a inovação move a economia contemporânea. Com efeito, inovar tornou- se a principal arma de competição entre empresas e entre países. Na atualidade, deter conhecimento tecnológico conduz à dominação econômica e política.
No nível das empresas, o conhecimento tecnológico pode fundamentar uma empresa competitiva e a busca permanente de inovações pode recriar as condições para que esta empresa se mantenha competitiva ao longo do tempo.

Assim, competitividade não é um conceito estático e o dinamismo requerido para a manutenção de posições competitivas requer o investimento em desenvolvimento tecnológico.

Mas nos dias de hoje, inovação e desenvolvimento tecnológicos não podem estar desassociados da sustentabilidade.

Gerar soluções, produtos, e serviços inovadores com o uso adequado da tecnologia visando a sustentabilidade deve ser o principal objetivo de todas as empresas e pessoas.

No dia 08 de outubro de 2015 a SUCESU-RS estará realizando em Passo Fundo um seminário que aborda esses três pilares da economia atual: tecnologia, inovação e sustentabilidade, no viés da gestão da TI.

Esperamos você!

Diretoria SUCESU-RS