KPMG apresentou os impactos da tecnologia nas organizações

O CIO Advisor da KPMG, Claudio Soutto, apresentou os “6 Ds” da organização exponencial. O conceito ajuda a entender a linha para que uma tendência torne-se disruptiva, passando por diferentes fases após a digitalização e atingindo seu turning point após um momento de decepção a respeito da ideia.

O CIO Advisor salientou que as mudanças que estamos vivendo são tão significativas que é possível caracterizar o atual momento como a 4ª Revolução Industrial, destacando mudanças que fundem as dimensões físicas, digitais e biológicas e exemplificou o seu ponto de vista a partir de tecnologias como a inteligência artificial, realidade aumentada, robotização entre outros.

A KPMG, empresa que possui um centro de excelência nos Estados Unidos para a realização de pesquisas, verificou seis grandes mudanças que representam as disrupções desta Revolução Industrial. São elas o Digital Labor, que foca-se principalmente na robotização de diversas indústrias, Omni Enterprise, que foca nas necessidades do cliente, Internet das Coisas, conceito que está cada vez mais popular e que permeia diversos setores das rotinas atuais. Também destaca-se o Cloud Computing, Continuous Delivery e Block Chain.

“O consumidor não está mais buscando preço, ele está buscando qualidade”, explicou Soutto ao destacar a importância das evoluções digitais para as empresas e também como isso pode impactar nos negócios. “Quando uma empresa lança uma solução digitalizada ela será comparada a outras soluções inovadoras, e não aos seus concorrentes. Isso incrementa suas atividades e, também, as novas soluções”, concluiu.

Para exemplificar sua fala sobre tecnologias disruptivas, Claudio apresentou um vídeo onde uma casa era feita inteiramente a partir de uma impressora 3D. “A ideia aqui é mostrar o nível de disrupção. Tanto em indústrias tecnológicas, como Netflix, Spotify, como nas indústrias práticas como a construção civil”, explicou.