Os GUs na produtividade para 2020

gusSeis Grupos de Usuários – GUs da SUCESU-RS trouxeram sua contribuição para produtividade para 2020 no 2ª edição do GUDay. Com participação de seus integrantes ou convidados, todos buscaram mostrar como a tecnologia está se moldando aos novos tempos de produção. Veja um pouco do que foi apresentado:

GUInfra –  Fernando Biehl, coordenador do GUInfra, falou sobre Software Define Storage”,  com uma visão geral e cases. “O mundo se desenha para que você tenha um hardware genérico e que a sua função seja determinada pelo software”, explicou Biehl. Ele também demonstrou alguns catalisadores para tal, como o preço do SSD, barateamento de redes entre outras possibilidades de evolução para o SDS. Para exemplificar foram apresentados cases de sucesso das empresas Toniolo Busnello e GetNet.

GUGRC – Vladimir Bidniuk, coordenador do GUGRC, falou das práticas de gestão de risco e conformidade nas empresas a partir do ponto de vista da produtividade.. “A produtividade é uma relação definida pelos riscos e como isso impacta na produção”, destacou. Para ele, a produtividade é um dos melhores indicadores de eficiência da gestão, e isso só é possível com um bom trabalho de governança.

GUGP – Fábio Giordani, Gerente de Projetos de Dell, convidado do GUGP, mostrou como novas fontes de energia e novas tecnologias estão afetando, e seguirão a afetar, os modelos de produção. Ele demonstrou exemplos de tecnologias que podem passar a existir entre 2018 e 2010, como robótica e transportes independentes e como isso afetará o mercado de trabalho. “Empregos não vão desaparecer, vão mudar de lugar”, explicou. O gerente trouxe ainda dados que demonstram alteração de 35% nas habilidades de trabalho entre os anos de 2015 e 2020.

GUSEG – O advogado Guilherme Goulart, convidado do GUSEG, apresentou aspectos sobre o papel do direito na regulação da tecnologia. Goulart apresentou aspectos em que o direito teria que agir junto à tecnologia como, por exemplo, problemas relacionados a carros elétricos sem motoristas que se envolvem em acidentes. Outro ponto abordado pelo advogado foi quanto à proteção dos dados dos usuários que a Intente das Coisas acessa e registra em seus sistemas.

RSJUG – Arquitetura de microsserviços foi o tema do Desenvolvedor de Software da UMovMe, Guilherme Elias, com temas monolíticos, convenção de serviços, cultura dos microsserviços e serverless.  Ele explicou a cultura dos Microsserviços e o manifesto reativo, que consiste em aprender e trazer inovações para as empresas. “Um sistema precisa ser responsivo, onde mesmo com uma falha ele consegue conversar com o usuário”, disse.

GUSAP – Jarlei Nascimento, coordenador do GUSAP, apresentou o conceito do MES (APICS), que consiste em um sistema de informação de chão de fábrica e um sistema de comunicação com diversas funcionalidades. “Podemos atuar dentro do chão de fábrica, mostrando ao gestor o que está acontecendo”, afirmou. Para ele, é muito importante conversar com o dado, conversar com os números, “porque eles que vão me dizer o que fazer”, destacou. Nascimento também falou da importância do machine learning para as empresas.