Painel abordou alternativas de trabalho para gestores de TIC

painel_poaEncerrando a programação do 1º Seminário Gestor de TIC da SUCESU-RS, aconteceu o painel com a temática “Gestores de TIC”. O painel, que contou com a mediação do Presidente da SUCESU-RS, Daniel Scherer, teve como participantes Eduardo Elias, da Getnet, Lásaro Silva, do Terra, Nadia Bertini, do CIEE-RS e Ricardo Abel, do Digital Business. As conversas foram margeadas por temáticas voltadas às aplicações da computação positiva no dia-a-dia de trabalho.

“O CIEE, como uma ONG, vê que a computação positiva cumpre uma missão, um papel social pela empresa”, destacou Nadia Bertini, que exaltou o trabalho desenvolvido no Centro de Integração Empresa-Escola. Ela destacou que, desde 2010, o grupo faz ações dentro de TI, principalmente voltadas ao marketing digital. Entre as ações, destaca-se o “Diálogos CIEE-RS”, lançado em 2011 e que teve como objetivo otimizar as conversas com o público através das redes sociais.

“Se nós tivermos o interesse, enquanto profissionais de TI, podemos levar essa tecnologia a favor do conhecimento”, destacou Lásaro Silva. Silva também comparou os elementos da computação em nuvem, que vai a favor dessa proposta, com a computação positiva. “A área de TI vem se transformando, e a necessidade de mudança é real. Pela velocidade dos negócios e por ocupar uma posição importante na área de inovações”, destacou Ricardo Abel.

“Computação Positiva consegue captar a mudança nas áreas de negócio, e muitas vezes com metodologias inovadoras”, completou Abel, que concorda que essa série de mudanças vem tornando a área de TI cada vez mais importante. Tais evoluções vão ao encontro do trabalho desenvolvido nas empresas, tornando as atividades diárias mais dinâmicas e colaborando diretamente com o bem estar dos funcionários. É o que destacou Eduardo Elias, da Getnet, ao explicar que a filosofia de trabalho do Santander é ser algo simples, pessoal e justo.

“Cada funcionário tem um app para indicar clientes, problemas e outras métricas de trabalho. Todos os funcionários podem realimentar a máquina de negócios”, explicou. A ideia é que cada funcionário possa colaborar para o crescimento conjunto da empresa, o que os faz se tornar parte de algo importante. “As pessoas não querem uma vida fácil, querem uma vida com objetivo”, citou Daniel Scherer.

Para Eduardo, a tecnologia vem como aliada para informar aos funcionários qual a importância do trabalho cada um, e não somente os aspectos superficiais. Tal comportamento afeta diretamente a motivação e, consequentemente, um resultado final melhor. “Se nós sentimos importantes, alimentamos um ciclo vicioso de motivação”, finalizou.

Alinhando a ideia, Lásaro Silva explicou que pra se ter clientes satisfeitos é preciso se ter funcionários satisfeitos com o que estão fazendo. Nadia Bertini abordou um exemplo prático de aproximação da área de TI com a empresa, falando da ideia do CIEE em ter uma publicitária voltada à comunicação interna com a área de tecnologia de informação. Também foram criados canais que ligassem a área de TI com a comunidade.