Painel CIO abordou inovação dentro das organizações

painelO Painel CIO do Seminário Executivo de Passo Fundo apresentou a importância da visão estratégica e holística dos gestores de TI, para que a inovação faça parte das empresas. Aliar tecnologias, pessoas e lidar com os erros foram pontos chave destacados pelos convidados, mediados pelo jornalista e escritor Murilo Martino.

Para Mauro Piva Junior, Gerente de TI da Credeal, a inovação tem sido uma questão de sobrevivência. “Não sabemos até quando nosso principal produto, o caderno, terá mercado. Então houve a necessidade de inovação, desde a mais radical, que é a criação de novos produtos e segmentos, com a parte digital; como o incremento na parte produtiva para melhoria de performance”, contou. Há seis meses a empresa criou um comitê de inovação para classificar o que vem sendo feito e para geração de novas ideias.

Na área da saúde a situação é um pouco diferentes, disse Artur Felipe Wendling, Gerente de TI da Clínica Kozma e Presidente do GTISul. Ele conta que a empresa está valorizando pequenas ideias que os colaboradores trazem no seu dia a dia de processo, focando no que é simples e pode efetivamente trazer resultado. “Mas também atuamos no viés estratégico de inovação e aí sim temos um trabalho mais elaborado de avaliar questões financeiras, riscos, viabilidade. O profissional de TI precisa de uma visão estratégica”, avaliou o gestor.

Gabriel Prestes, Coordenador de TI da Faculdade Meridional – IMED, trouxe a experiência de inovar na educação. A IMED nasceu há 10 anos em Passo Fundo com a proposta de trazer uma qualidade de ensino que fomenta o empreendedorismo e a inovação do aluno. “Desde o início buscamos fazer algo diferente. Nosso objetivo é fazer com que esse modelo de educação se perpetue. Em 2014 fomos desafiados a levantar referências para cada um dos cursos que temos, fomos visitar essas áreas e ver como eles estão trabalhando, como  entendem que a educação pode ser disruptiva”, relatou.

No processo de inovação, a participação das pessoas é fundamental, seja dos colaboradores ou consumidores. Reter talentos e lidar com os erros, que necessariamente virão com a inovação, é outro desafio dos gestores. “Eu procuro trabalhar de forma mais aberta possível com a equipe e também converso muito com os alunos para saber que relevância aquilo vai ter para eles”, disse Gabriel, da IMED.

A parceria entre fornecedores e cliente foi outro ponto abordado pelos convidados. Para Artur, da Kozma, parceiro é aquele que vai te colocar uma tecnologia e saber se pode ou não ser aplicada. “Temos que construir parcerias para efetivar uma relação de ganha-ganha”, acredita. Na Credeal essa parceira, seja com colaboradores ou com clientes, é reforçada com a pontuação das ideias e também com visitas e palestras para ver como outras empresas estão trabalhando a inovação.