Perfil: Rafael Leitenski valoriza ganhos do conhecimento compartilhado

Com 15 anos de experiência no mercado de TI, Rafael Leitenski é o coordenador do GUSegurança. Leitenski é formado em MBA Gestão Estratégica de TI pela Fundação Getúlio Vargas e em Engenharia de Controle de Automação pela PUCRS. Atualmente, é Gerente de Canais da FORTINET e também possui experiência profissional em empresas como Trend Micro do Brasil, IBM Brasil e Xerox do Brasil.

Como se interessou e porque gosta da área de segurança?
Rafael – Comecei trabalhando com TI no geral e fui percebendo que a segurança despertava certo fascínio nas pessoas. Na época, os vírus de computador me chamaram a atenção, enquanto meus colegas se concentravam em desenvolver softwares mais rápidos. Avancei no tema de Segurança da Informação, pois acredito que cada vez mais estará presente em nosso cotidiano possuindo um grande impacto. Sem a correta segurança o melhor sistema e infraestrutura podem não funcionar.

Quais comportamentos e competências deve ter um profissional que atua com segurança na sua avaliação?
Rafael – Um profissional de segurança da informação deve ser muito paciente, analítico e de visão global, pois lidamos com muitas variáveis e grande parte delas são apenas possibilidades, afinal, investe-se em segurança para que algo não aconteça. Diferente de investir em um equipamento para se ter apenas mais capacidade ou velocidade, que são problemas conhecidos, na segurança estamos a maior parte do tempo trabalhando com previsões.

O que o motiva a fazer o trabalho voluntario de ser coordenador de GU?
Rafael – Posso resumir em um principal motivo, que é compartilhar conhecimento. Acredito que um conhecimento guardado para si não traz muitos benefícios, já quando o compartilhamos estamos fomentando discussões e fóruns para que todos cresçam juntos.

Quais as ações do GUSegurança em 2017?
Rafael – Nos últimos dois anos enfrentamos tempos difíceis que impactaram nos projetos e orçamentos das empresas. O ano de 2017 já está dando sinais de melhora, as demandas reprimidas estão saindo das gavetas e planos começando a serem executados. Nosso papel é trazer para a comunidade os temas mais relevantes de segurança da atualidade que devam ser considerados nas realizações de TI deste ano, para evitar que na pressa da execução para recuperar o tempo perdido, a segurança fique em segundo ou terceiro plano e isso acabe comprometendo a operação do sistema entregue, resultando em todo um retrabalho as vezes até mais custoso do que se fosse considerado no início do dimensionamento.