Sistemas de segurança foram o foco dos patrocinadores platimun

platinum1 platonum2

Pesquisas mostram que cerca de 70% das falhas de segurança das empresas vêm de problemas internos, portanto, é essencial maior atenção para tudo que está acontecendo na rede. Este foi o recado da Under Protection e da Infra TI aos gestores que participaram do Seminário em Passo Fundo. As empresas apresentaram dados relevantes sobre como estão ocorrendo os ataques atualmente e como é possível prevenir.

Relatório da Consultoria Price revela que as organizações estão olhando ameaças do futuro com controles do passado. Por isso, Alberto Teixeira Silva, da Under Protection, falou sobre o alinhamento de expectativas e frustrações na contratação de sistemas de segurança. “Hoje é possível que um arquivo de PDF intitulado currículo invada uma empresa”, alertou. O mesmo relatório da Price indica um crescimento de 23% no roubo de identidade de informação nas organizações. Mas segundo Alberto, na prática, isso é muito maior. “A explicação é que estamos em um momento de crise, o que gera uma insegurança nas pessoas em relação a sua continuidade de trabalho, então elas acabam se apropriando de dados sensíveis da organização e levando isso como uma moeda de troca”, explicou.

Alberto destacou que o problema é que se pressupõe que quem trabalha “abaixo da linha do firewall” é confiável. “Em nossos atendimentos é impressionante o número de ex-colaboradores que continuam tendo acesso às informações da empresa ou que compartilharam suas informações com outras pessoas da organização”, contou.

Augusto Bueno, da Infra TI, apresentou soluções para usar a rede como elemento de segurança. “É preciso usufruir melhor dos recursos que já temos, ter uma visibilidade do que está acontecendo na rede, do que o firewall não está vendo, nem o antivírus”, disse. Com isso, é possível ter um contexto melhor do ambiente, de fluxos que não são normais e uma ideia de violação das politicas de usuário. Dai a importância de entender o comportamento do usuário da rede.